terça-feira, 29 de março de 2016

No Monte da Transfiguração...

Uma dúvida que surge entre muitos... Em Mateus 17, Quando a Transfiguração de Jesus acontece, não seria base para a consulta aos mortos e pra tantas outras doutrinas alheias até dentro do cristianismo? Não! FALÁCIA!

Primeiro, o próprio evento já diz que Jesus se transfigurou para falar com as duas pessoas. Se trouxermos isso para os dias atuais, todos nós, ao falarmos com alguém que já morreu teríamos que ou nos tornar em “espíritos”, ou em corpos glorificados, ou ainda em almas penadas.
Imagem Ilustrativa

Segundo, a narrativa diz que foi somente Jesus (na figura de Deus), que falou com Moises e Elias e nenhum humano participou da conversa. Quando Pedro foi tentar participar daquilo, Deus deu um “pito” nele, baixou-se uma nuvem, eles caíram com rosto em terra e ouviu-se uma voz no verso 5 dizendo: “Este é meu Filho amado, em quem me comprazo”, em referência a Jesus.

Terceiro, a doutrina espírita diz que João Batista seria a reencarnação de Elias. Mas então quem teria que aparecer ali seria João Batista e não Elias, pois na reencarnação o que vale é o último corpo, não é?! Batista já havia sido morto, então ele deveria ter aparecido. Além disso, Elias nem tinha morrido. Deus o tinha levado ao céu por livre e espontânea vontade. Cai por terra, tudo isso ai.

E por último, foi um evento único. Se houvessem mais acontecimentos desses narrados na Bíblia, a gente até poderia suspeitar. Mas ela mesma diz pra nós não consultarmos adivinhos e nem os mortos no livro de Isaias, etc. E se Jesus quisesse que nós fizéssemos isso ele teria dito e teria feito com os mortos da época. Como ele não falou e não fez, a gente faz igual. Amém?! Kkkk

Nenhum comentário:

Postar um comentário